Sobre o site

CONTEÚDO

Este espaço foi desenvolvido com o objetivo de, por um lado, publicar análises filosóficas e torná-las acessíveis; também, por outro, para possibilitar que a escrita aqui presente venha à luz e transforme-se em objeto de discussão e não permaneça nos cemitérios de elefantes brancos do lattes. Algumas dessas análises têm por enfoque tanto a fantasia enquanto linguagem artística quanto a própria contemporaneidade, ambas sempre à luz de aproximações e diálogos com a tradição da história da filosofia. Outras, por sua vez, fazem parte de minhas próprias investigações filosóficas, em uma linguagem mais técnica e acadêmica. No que diz respeito àquelas primeiras, elas buscam problematizar e descrever os aspectos mais fundamentais de diversos temas encontrados por detrás da fantasia na literatura, assim como desenvolver reflexões sobre a contemporaneidade através da linguagem da filosofia. Já nessas últimas, nas mais técnicas, há também uma preocupação em aproximar as raízes do nosso pensamento ocidental às leituras do dia-a-dia, ecos do pensamento grego antigo a qualquer leitor que queira mergulhar de cabeça na filosofia. Em suma, seu objetivo é iniciar reflexões e levá-las a efeito com o intuito de proporcionar a qualquer leitor que se interesse por filosofia um contato direto com o pensamento filosófico que normalmente se perde nos corredores da academia, pensamento que se preocupa com explicitar fundamentos, com apresentar razões, investigar as causas, criar e esclarecer conceitos. Neste caminhar em meio às reflexões, em meio ao pensamento filosófico, em meio a panos de fundo muitas vezes comuns ao nosso quotidiano, buscamos fundamentalmente não trazer respostas às pessoas, como normalmente o faz a auto-ajuda, mas pelo contrário, trazer mais problemas e discussões para o maior número de pessoas, para que o próprio leitor possa fazer parte desse processo reflexivo, trabalhoso e tão fundamental à possibilidade de desenvolvimento autônomo de respostas a cada um e qualquer problema genuinamente filosófico.

Não há, em hipótese alguma, pretensões de produzir conhecimento exclusivamente acadêmico, dado que o site é composto, em grande maioria, por ensaios e reflexões com uma linguagem voltada para a divulgação e aproximação do discurso filosófico e o leitor comum. Consequentemente, esse espaço não é sustentado por propagandas ou qualquer outro meio financeiro externo. Não recebemos dinheiro pelo número de acessos nas postagens e mantemos o domínio no ar através dos nossos próprios recursos pessoais. Deste modo, não há uma preocupação em responder a interesses financeiros que obrigatoriamente forçariam este site a preocupar-se com agradar um certo tipo de público específico.

Portanto, nesse sentido, trata-se de um espaço “desinteressado”.

NOME

A ideia para o nome desse site foi roubada, sem nenhum remorso, de uma das definições kantianas do belo, que diz respeito ao estudo sobre os fundamentos do juízo de gosto puro, desenvolvido na primeira parte da Crítica da faculdade de julgar, “Crítica da faculdade de julgar estética”. Nesta investigação, surge a ideia de “satisfação desinteressada”. Kant defende a ideia de que não há somente um tipo de satisfação pelo gosto — satisfações que causam prazer. Há, por exemplo, satisfações pelo gosto dos sentidos, pelas quais o sujeito estima ou aprova algum dado dos sentidos que lhe agrada. No entanto, somente a satisfação através do gosto pela reflexão é desinteressada e livre: nem os interesses dos sentidos, i.e., o que diz respeito ao agradável ao particular de cada um, nem os interesses da razão, i.e., o que diz respeito ao conhecimento ou à moral, condicionam e influenciam o juízo de gosto puro. O prazer pelo belo é livre de nenhum interesse: prazer puramente contemplativo.

Fazendo uma alusão a Kant por meio desse jogo de palavras, este espaço é desinteressado e livre: nem os interesses que dizem respeito ao agradável ao particular de cada um (dos leitores), nem os interesses que dizem respeito ao conhecimento ou à moral, condicionam e influenciam a escrita e o conteúdo desses textos. Somente o “gosto pela reflexão” causará o prazer pela satisfação de lê-los e comentá-los. Daí, portanto, surgiu o jogo de palavras com o nome.

Escrever estes textos é uma “satisfação desinteressada”. Espero que a leitura, apesar de ser necessariamente interessada, seja uma satisfação.

AUTOR

Andre da Paz é historiador e filósofo, aluno no Programa de Pós-Graduação em Metafísica da Universidade de Brasília e integrante da redação da Revista Archai, na Cátedra UNESCO: as Origens do Pensamento Ocidental. Seus estudos têm ênfase no mundo antigo e em Filosofia Grega. Amante das letras, da escrita e da leitura, sobretudo da Filosofia, em História da Filosofia, Metodologia Filosófica e Filosofia da Educação, assim como em Metafísica, Teoria do Conhecimento e Filosofia da Linguagem; das Ciências Cognitivas, em Mente, Cérebro e Cognição, bem como em Genética, Evolução e nas Neurociências; de História, na Antiguidade Clássica e no mundo escandinavo medieval; e de Mitologia, História da Arte e História da Cultura. Também tem interesse na escrita de fantasia fantástica e em reflexões sobre seu alcance enquanto linguagem artística.

Curriculum Vitae – Plataforma Lattes/CNPq

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s